29 setembro 2015

Resenha do filme: A Visita





Resenha filme: A Visita
Ano: 2015
Realizador:  M. Night Shyamalan
Género: Terror, comédia
Maiores de 14 A
IMDB: 6,8
Actores: Kathryn Hahn, Ed Oxenbould, Peter McRobbin, Deanna Dunagan e Olivia DeJonge



Resenha:
Olá! Vamos iniciar este ciclo de resenhas com o último filme que fui ver ao cinema, A Visita. Fui convidada pelas minhas amigas para ver este filme de terror (em Portugal não está classificado como comédia), o último deste aclamado realizador. Se não o conheceste pelo nome, tenho a certeza que conheces o seu trabalho pois realizou filmes como A Vila ou o incontornável  O Sexto Sentido. E assim lá fomos todas nós com elevadas expectativas…

O filme inicia-se com a actriz Kathryn Hahn a fazer um breve apanhado do estado actual da sua vida: mãe solteira, com dois filhos e com uma relação afastada dos seus pais a tal ponto que os filhos desta personagem nunca conheceram os avós. Para colmatar esta falha eles organizam uma viagem a casa dos avós, sem a mãe. Com muitas lágrimas à mistura e abraços fortes lá partem as crianças no comboio para a terra dos avós.

Chegando à paragem destinada estão os amáveis avós à sua espera. Tudo corre como esperado e com normalidade, inclusive o cliché de ter uma avó incansável a fazer bolinhos para os netos. Quando a noite cai é que a anormalidade começa a acontecer. É quando se começam a ver as atitudes inesperadas e “assustadoras” da avó. Novo dia e tudo volta à normalidade. A justificação destas atitudes anormais vem pelo avô, sendo que as crianças a aceitam com naturalidade. Durante o dia, as crianças, principalmente a filha (mais velha) tentam cumprir a missão desta visita: procurar o “elixir” que provocará a paz e harmonia entre a avó e mãe. Para tal tentam procurar o porquê do seu afastamento e perceber se ainda é possível obter o tão esperável perdão.

O filme vai avançando com as crianças a descobrirem cada vez mais as pontas soltas no comportamento dos avós. Do nosso lado à medida que o filme vai avançando, vamos ficando cada vez mais ansiosas pelas cenas de terror que teimam em não chegar, aliás arriscaria a dizer que não chegaram. O final não é o mais esperado e admito que tenha causado algum suspense (obviamente que eu não vou contar :-p).



No global o filme está com uma realização do género documentário, que era feito pelos meninos, o que dá alguma intimidade ao espectador e que se torna fácil cativar e transportar-nos para a história. Adorei a personagem e o actor Ed Oxenbould, faz de irmão mais novo e tem realmente jeito para a representação provocando algumas das mais sinceras gargalhadas.

Em suma, este foi um dos melhores filmes de comédia que vi nos últimos tempos, porque chorei a rir em diversas partes do filme. De tal forma, que as minhas amigas só me pediam para parar e manter todo o ambiente que se espera numa sala de cinema calmo e silencioso.
Terror?! Zero
De 1-5 daria 4 pela comédia.
 Palavra chave: absurdo


Filipa Inês Almeida

2 comentários:

  1. Amei a resenha
    Nunca tinha visto esse filme, mas agora me deu vontade...rs
    Beijos

    www.atreva-se.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ha ha , pois vai ver esse filme mesmo, porque é otimo. Beijos <3

      Excluir