21 março 2015

Menos a falta de amor

Naquele dia em que chegou atrasado no almoço, pediu desculpas, desculpei. E depois naquela noite em que combinamos uma cervejada com os amigos, mas o trânsito estava impossível e você só chegou uma hora depois, relevei. Naquela noite de pré-estreia da minha obra literária preferida, que viraria filme. E naquele dia em que confundiu meu nome, esqueceu do compromisso, contou um segredo meu à todos, sem querer, porque o álcool já tinha tomado sua sanidade.
Convenci a mim que, erros todos comentem, não é? E eu devia perdoar, porque, bem, eu te amava. Ou amo ainda, quem sabe? No entanto, há coisas que, de tanto que repetem, não são mais suportáveis. 


Perdoei o beijo sem calor, o olhar não correspondido, o abraço de leve. Perdoei a risada desacompanhada e os inúmeros atrasos. Mas, meu bem, perdoar cansa, e eu cansei. Cansei das desculpas, dos atrasos, dos sentimentos sem calor. 
E eu poderia perdoar a tudo, menos a falta de amor. 

— Bruna Barp



4 comentários:

  1. Que texto lindo... Perdoar cansa, sem dúvidas. E viver um amor que não é recíproco, cansa mais ainda.

    Beijos, Li.
    eililian.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Li! E sem dúvidas cansa!
    Beijinhos da Bru

    ResponderExcluir
  3. Eu tô simplesmente apaixonada por esse texto, sério! Não consigo expressar o quanto adorei, até salvei nos favoritos pra ler de novo depois hahaha tá lindo, de verdade. Parabéns!
    Um beijão,
    Gabi do likegabs.blogspot.com ♥

    ResponderExcluir
  4. Ai Gabi, fiquei super feliz lendo teu comentário! São opiniões assim que me motivam a continuar a escrever! Leia de novo e de novo e de novo, até enjoar! Hahahah
    Obrigada e beijinhos da Bru!

    ResponderExcluir